20 de Maio de 2022
Dívida das famílias, empresas e Estado sobe para 782.500 ME de fevereiro para março
Lusa

Autor do Artigo
50

O endividamento do setor não financeiro (administrações públicas, empresas e particulares) aumentou 5.100 milhões de euros em março, face a fevereiro, para 782.500 milhões de euros, informou ontem o Banco de Portugal (BdP).
Segundo o BdP, o endividamento do setor público (administrações públicas e empresas públicas) subiu 1.800 milhões de euros, para 350.600 milhões de euros, referindo que a subida resultou, sobretudo, no crescimento do endividamento perante o exterior em 700 milhões de euros, enquanto o endividamento junto do setor financeiro e das administrações públicas cresceu 600 milhões de euros em ambos os casos.
Quanto ao endividamento do setor privado (empresas privadas e particulares) aumentou 3.300 milhões de euros, para 431.800 milhões de euros, principalmente junto do setor privado.
Em março, o endividamento das empresas privadas subiu 2.700 milhões de euros, sobretudo junto do exterior e do setor financeiro (1.500 e 1.100 milhões de euros, respetivamente).
Quanto a taxas de variação, em março, o endividamento das empresas privadas cresceu 5% face a março de 2021, numa aceleração de 0,7 pontos percentuais em relação ao mês anterior. Quanto ao endividamento total dos particulares, aumentou 3,9% relativamente ao período homólogo, mais 0,2 pontos percentuais do que em fevereiro.

O endividamento do setor não financeiro (administrações públicas, empresas e particulares) aumentou 5.100 milhões de euros em março, face a fevereiro, para 782.500 milhões de euros, informou ontem o Banco de Portugal (BdP).
Segundo o BdP, o endividamento do setor público (administrações públicas e empresas p&uacut…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.


Contacte-nos através: 292 292 815.




Outras Notícias
Região integra novo programa europeu na área da mobilidade elétrica
.
Lançado concurso para obras em Porto Pim
.
Quase 700 mil estrangeiros vivem em Portugal e 30 por cento são brasileiros
.
Portugal atribuiu quase 45 mil proteções temporárias a pessoas que fugiram da guerra
.