26 de Fevereiro de 2024
Anúncio de greve na Atlânticoline leva a esclarecimento da empresa
Incentivo

jornalincentivo@gmail.com
2054
Atlânticoline “empenhada” em alcançar entendimento com Sindicato

Na sequência do aviso prévio de greve apresentado, no passado dia 21 de fevereiro, pelo Sindicato dos Trabalhadores da Marinha Mercante (SIMAMEVIP), o Conselho de Administração da Atlânticoline, S.A. divulgou um comunicado no qual considera importante prestar alguns esclarecimentos.

“Contrariamente ao que alega o referido sindicato, não existiu qualquer intransigência negocial por parte desta empresa”, afirma a administração.

E explica que desde o início do processo negocial que este Conselho de Administração tem vindo a apresentar propostas no sentido de valorizar os trabalhadores, sem colocar em causa o equilíbrio económico-financeiro da empresa.

Segundo a empresa, desde a primeira hora o SIMAMEVIP exigiu um aumento salarial de 15% em todas as categorias e níveis salariais, estendendo-se a outras rubricas como diuturnidades, subsídio de refeição, abono de falhas e ajudas de custo, “sem apresentar qualquer fundamento ou contrapartida para esses aumentos”.

Para a Atlânticoline este aumento não é comportável.

 Acresce a esta situação o facto de terem existido aumentos substanciais há dois anos, aquando da última greve, visando valorizar todos os trabalhadores.

Nesse sentido, numa negociação excecional, ficou definido o aumento automático de todos os trabalhadores “aquando e no valor do aumento da Remuneração Mínima Mensal Garantida Regional” - n.º 7 da cláusula 2ª do Acordo de Empresa. Esta cláusula implicou o aumento automático mensal a todos os Colaboradores em 57,75€ (2023) e agora em 63,00€ (2024). Tal cláusula tinha como contrapartida, como ficou lavrado em ata de março de 2023, devidamente assinada pelas partes (Atlânticoline, Sindicato e Direção de Serviços do Trabalho), o compromisso do SIMAMEVIP em rever o Acordo de Empresa, que se encontra desajustado à atual atividade da Atlânticoline.

Nestes últimos dois anos, continua o comunicado, o SIMAMEVIP não só se mostrou indisponível para cumprir o compromisso, como veio exigir novos aumentos, sem que o Acordo de Empresa fosse revisto.

Tal como ocorreu há dois anos, sempre que se aproxima um acordo, o SIMAMEVIP efetua novas exigências, mesmo sem que tenha demonstrado qualquer abertura para negociar.

Atualmente, e após a empresa se ter disponibilizado para um novo aumento a todas as categorias profissionais e também no subsídio de refeição, o sindicato voltou a apresentar nova exigência, desta feita apenas para uma categoria, exigindo um aumento de 21,6%, quando a proposta da Atlânticoline já havia sido validada por 93% dos trabalhadores em reunião geral interna.

Apesar do SIMAMEVIP ter recusado, até esta data, qualquer processo negocial, limitando-se a apresentar exigências, o Conselho de Administração da Atlânticoline, S.A. “mantém toda a disponibilidade para negociar de forma assertiva, valorizando os seus profissionais, desde que o Sindicato assuma o seu compromisso de revisão do Acordo de Empresa”.

Na sequência do aviso prévio de greve apresentado, no passado dia 21 de fevereiro, pelo Sindicato dos Trabalhadores da Marinha Mercante (SIMAMEVIP), o Conselho de Administração da Atlânticoline, S.A. divulgou um comunicado no qual considera importante prestar alguns esclarecimentos.

“Contrariamente ao que alega o referido sindicato, não exis…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.
Pode tornar-se assinante por apenas 7€ por mês.

Contacte-nos através: 292 292 815 ou jornalincentivo@gmail.com.




Outras Notícias
Bebé nasce nos Açores a bordo de avião da Força Aérea
.
Paulo Nascimento Cabral indicado pelos Açores para lista do PSD
.
Crise sísmica na Terceira com valor anormal apenas de sismicidade
.
Universidade dos Açores pede celeridade para novas residências
.