25 de Maio de 2023
Festival Maravilha de 7 a 10 de junho na cidade da Horta
INCENTIVO

Autor do Artigo
240

A cidade da Horta vai transformar-se num grande palco ao ar livre para receber, em terra e no mar, espetáculos musicais e performances artísticas.

Sob o mote “É no mar! É na ilha!”, o festival Maravilha volta a acontecer, entre 7 e 10 de junho, na cidade da Horta, em terra e no mar, assumindo-se como um espaço de encontro entre a comunidade local e a comunidade de velejadores que aportam à ilha do Faial.

 “Depois do sucesso da edição flutuante, em 2021, em que participaram cerca de 2.000 pessoas, com a maioria dos espetáculos a decorrer no mar, este festival multidisciplinar volta agora a trazer ao centro do Atlântico mais de duas dezenas de artistas de várias nacionalidades para apresentarem duas mãos cheias de espetáculos e performances de carácter gratuito”, lê-se em nota de imprensa enviada às redações pela entidade organizadora do Festival, a Associação Cultural Fazendo.

Com destaque para as artes de rua, com espetáculos e performances que aliam magia e ilusionismo, malabarismo e ‘clown’, a programação inclui, também, vários concertos e uma instalação artística que vão decorrer no Porto da Horta, na Praça do Infante e no Mercado Municipal.

Portugal, Bélgica, Espanha, França e Croácia são alguns dos países representados na 4ª edição deste festival.

Trio Kilôko (Luís Bastos, Mick Mengucci e Ian Carlo Mendonza), CIGO (Mileta Cvijanovi?), Noel Fandiño Santiago, Greta Ruas Miguélez, Johanna Hesse, coletivo Time Circus, OMIRI, Marieke Huysmans Berthou, Sambachico e The Island Bandits compõem o cartaz deste ano.

Como vem sendo habitual em edições anteriores, alguns dos artistas chegam à ilha de barco. É o caso da francesa Marieke Huysmans Berthou, que já está a caminho, à vela. Além de cantora e pianista, Marieke é, também, velejadora, e criou o projeto PIANOCEAN, que consiste em navegar pelo mundo e promover concertos de piano em todos os portos e marinas por onde passa. Para isso, Marieke instalou um piano vertical a bordo que, aquando dos concertos, e através de um sistema personalizado, é elevado da cabine para o convés para o público poder assistir a partir de terra.

Antes do arranque do Maravilha, nos dias 2 e 3 de junho estão previstas, em Porto Pim e no Mercado Municipal, pequenas performances musicais.

A cidade da Horta vai transformar-se num grande palco ao ar livre para receber, em terra e no mar, espetáculos musicais e performances artísticas.

Sob o mote “É no mar! É na ilha!”, o festival Maravilha volta a acontecer, entre 7 e 10 de junho, na cidade da Horta, em terra e no mar, assumindo-se como um espaço de encontro entre a comunidade…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.
Pode tornar-se assinante por apenas 7€ por mês.

Contacte-nos através: 292 292 815 ou jornalincentivo@gmail.com.




Outras Notícias
Idosos em Portugal menos deprimidos que gerações mais novas
.
Último bispo português de Macau homenageado na ilha do Pico
.
Empresários de São Jorge alertam para impactos da greve na Atlânticoline
.
A primeira mulher PGR, que mandou prender um ex-primeiro-ministro
.