16 de Maio de 2023
Centro do Atlântico não pode esquecer o espaço
Lusa

Autor do Artigo
130

Os Açores podem contribuir para a segurança no Atlântico, não só através da sua dimensão marítima, mas também espacial, defendeu o subsecretário regional da Presidência, Pedro Faria e Castro.

“O Atlantic Centre [Centro do Atlântico] não pode esquecer esta nova vertente que é o espaço, não só a dimensão marítima, mas também a dimensão espacial”, afirmou, em declarações aos jornalistas, à margem da sessão de encerramento da III edição do curso de segurança marítima, organizado pelo Centro do Atlântico e pelo Instituto da Defesa Nacional, que decorreu na base das Lajes, na ilha Terceira.

Oficializado em 2021, por iniciativa do Governo português, o Centro do Atlântico, conta atualmente com 21 países signatários, de Europa, África e América, e terá sede na ilha Terceira.

Para Pedro Faria e Castro, a segurança do Atlântico, “tem uma face mais visível” no mar e os Açores têm a maior zona económica exclusiva da União Europeia, mas “há uma nova dimensão, cada vez mais importante, que é o espaço”, em que a região também pode ter um papel relevante.

“Há até já uma economia do espaço e nós estamos a acompanhar isso com o maior interesse, tendo em conta as nossas capacidades para esse novo setor de incidência económica e social”, apontou, acrescentando que o espaço também pode ter uma “dimensão de segurança”.

Pedro Faria e Castro sublinhou a importância da participação dos Açores no Centro do Atlântico, acrescentando que o desenvolvimento do arquipélago se faz “com parcerias”, com os “vizinhos” do Atlântico.

“É nesta parceria que temos de fazer com todos os nossos vizinhos, que temos conseguimos alavancar o nosso desenvolvimento social, económico e também a nossa segurança. Temos a perfeita perceção da importância da nossa segurança no meio do Atlântico, muito mais nos tempos que decorrem”, frisou.

A III edição do curso de segurança marítima, que juntou participantes de vários países na base das Lajes, durante quatro dias, teve como tema “Desafios digitais e tecnológicos no setor marítimo”.

??????Foi organizada em parceria com a Guarda Costeira do Canadá, o Instituto Marítimo do Golfo da Guiné, em Accra, o Policy Center for the New South, em Rabat (Marrocos), o Institute for Security Studies, em Pretória (África do Sul), e o United Nations Institute for Training and Research.

Os Açores podem contribuir para a segurança no Atlântico, não só através da sua dimensão marítima, mas também espacial, defendeu o subsecretário regional da Presidência, Pedro Faria e Castro.

“O Atlantic Centre [Centro do Atlântico] não pode esquecer esta nova vertente que é o espa&ccedi…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.
Pode tornar-se assinante por apenas 7€ por mês.

Contacte-nos através: 292 292 815 ou jornalincentivo@gmail.com.




Outras Notícias
Governo Regional garante que operação da SATA Air Açores está totalmente reposta
.
Portugal 2030 com 589 ME executados e 1.269 ME aprovados até abril
.
CAP pede levantamento de prejuízos nos Açores e pagamento de ajudas
.
Aliança Democrática foi o partido mais votado nos Açores
.