14 de Junho de 2022
Açores recebem em julho primeira astronauta negra a pilotar uma nave espacial
Lusa

Autor do Artigo
28
Exploradores, pioneiros, cientistas e investigadores em Ponta Delgada

Três mulheres astronautas entre as quais Sian Proctor, a primeira mulher negra a pilotar uma nave espacial, estarão nos Açores na cimeira Glex, entre 4 e 7 de julho, foi anunciado sexta-feira em Nova Iorque pelos organizadores.
Integradas numa comitiva de 200 especialistas em áreas como os oceanos e a conservação da natureza, elas representam “a elite” da exploração espacial, disse à Lusa Manuel Vaz, um dos organizadores da cimeira.
Sian Proctor nasceu no Guam, ilha do Pacífico, e tornou-se geocientista e astronauta. Segundo a organização, “não só foi a primeira mulher negra a pilotar uma nave espacial como é a primeira astronauta comercial negra”.
A norte-americana Cady Coleman é uma antiga astronauta da NASA (Agência Espacial Norte-Americana) e coronel da Força Aérea que conta 180 dias em duas missões espaciais e uma expedição de seis meses à Estação Espacial Internacional.
A artista Nicole Scott, que pintou a primeira aguarela no espaço é a outra convidada da terceira edição da Glex (Cimeira Global da Exploração).
Astronauta durante 15 anos da NASA, Nicole Scott viveu e trabalhou na Estação Espacial Internacional e na nave espacial, onde pintou a primeira aguarela no espaço.
Também é conhecida por ter participado na primeira troca de mensagens ao vivo no Twitter, no Espaço.
A Glex resulta de uma coorganização entre o Clube dos Exploradores, de Nova Iorque, e a portuguesa Expandig World.
O Clube dos Exploradores foi fundado em Nova Iorque em 1904 e tem cerca de 3.000 membros e entre eles, ao longo das décadas, estão pessoas que chegaram pela primeira vez a locais como o Pólo Norte, Pólo Sul, a Lua, o topo do monte Evereste e o ponto mais fundo do oceano conhecido, na fossa das Marianas.
Sob o lema ‘what’s next’ (o que fazer a seguir), os especialistas discutirão em Ponta Delgada (ilha de São Miguel, Açores) os oceanos, exploração espacial, conservação da natureza, alterações climáticas e as atuais e as futuras grandes expedições.
“Quando falamos dos aspetos práticos de como enfrentamos a realidade que vivemos é necessário conhecimento interdisciplinar”, disse à Lusa o presidente do Clube dos Exploradores, o astronauta Richard Garriot, para justificar a diversidade de intervenientes.
“A Glex é o local para pormos todas estas disciplinas juntas em prol do aumento do conhecimento”, considerou o presidente do Clube dos Exploradores.
Richard Garriot adiantou que alguns dos temas concretos da discussão sobre o futuro poderão passar por “trazer recursos que existem no espaço, como o alumínio ou o platinum para a terra ou, falando dos oceanos, passará por restaurar o meio marinho, como os corais.
A Glex terá também uma sessão inicial em Lisboa, a2 de julho, um dia depois de terminar a conferência dos oceanos das Nações Unidas, após o que “partirá para os Açores”.
De 4 a 7 de julho, passarão por Ponta Delgada exploradores, pioneiros, cientistas e investigadores.
Outros nomes já anunciados são o responsável pelo programa marciano da agência espacial norte-americana, James B. Garvin
O casal de conservacionistas franceses Beverly e Dereck Joubert apresentará um projeto que procura salvar 100 rinocerontes de caçadores furtivos fazendo os animais atravessar a fronteira entre a África do Sul e o Botsuana.
Um biólogo marinho que apresenta programas de vida selvagem, Austin Gallagher, falará sobre tubarões-tigre nas Bahamas e o maior prado de ervas marinhas do mundo. 

Três mulheres astronautas entre as quais Sian Proctor, a primeira mulher negra a pilotar uma nave espacial, estarão nos Açores na cimeira Glex, entre 4 e 7 de julho, foi anunciado sexta-feira em Nova Iorque pelos organizadores.
Integradas numa comitiva de 200 especialistas em áreas como os oceanos e a conservação da natureza, elas representam &ldquo…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.


Contacte-nos através: 292 292 815.




Outras Notícias
Dormidas em alojamentos nos Açores em maio superam dados de 2019
.
Cirurgia pode melhorar qualidade de vida de doentes com enxaqueca
.
Mais parcerias e planeamento para evitar falta de médicos
.
Lançado concurso para obras em Porto Pim
.