António M. Fernandes

A história por fazer

18 de Novembro de 2022


Faz todo o sentido falar de história própria a respeito de uma ilha. Por pequena que seja, e habitada por escasso número de seres humanos, uma ilha constitui necessariamente um universo limitado de acontecimentos a que corresponde uma cronologia autónoma. Claro que, num arquipélago unido por uma organização política e administrativa – convertendo-o numa “região” -- e por largos traços de uma cultura comum, essas particularidades insulares tendem a ser negligenciadas – mas é pena. Quando se fala de história da ilha do Faial, o que vem à tona são, basicamente, fenómenos emblemáticos como a baleação e a época dos Dabneys, a empreitada dos cabos submarinos, a saga dos Clippers e a erupção dos Capelinhos. Em geral, a história de mais de quatro séculos de presença humana na ilha desaparece na narrativa global do arquipélago – e, mais uma vez, é pena. No que toca propriamente ao Faial, o que encontrei de melhor, para além dos “Anais” de Marcelino Lima – cujo mérito lhe deu o direito a nome de rua -- , é um texto publicado em 2019, sob o emblema do Núcleo Filatélico de Angra do Heroísmo (https://philangra.blogspot.com), e da autoria de António Couto. Cheio de factos interessantes e primorosamente ilustrado, esse texto merece forte aplauso. Mas, lá está: do século XVI salta para o Século XIX, o que parece significar que nada aconteceu na ilha em mais de duzentos anos. E, daí para diante, são os Dabneys, a baleação, os cabos, os hidroaviões e os Capelinhos… As grandes figuras históricas ordinariamente citadas distinguiram-se, sobretudo, no Continente. E a história – a pequena história, se se quiser – desse singular pedaço de terra habitado continua, em grande parte, por fazer.

Faz todo o sentido falar de história própria a respeito de uma ilha. Por pequena que seja, e habitada por escasso número de seres humanos, uma ilha constitui necessariamente um universo limitado de acontecimentos a que corresponde uma cronologia autónoma. Claro que, num arquipélago unido por uma organização política e administrativa &ndash…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.


Contacte-nos através: 292 292 815.
53
Outros Artigos de Opinião
"Um Criado Titular (VIII)"
Jorge Moreira Leonardo
.
"O poder político, o poder económico e os lobbies"
Carlos Frayão
.
"Mais um Conselho de Administração... é o resultado das suas escolhas Sr. Secretário..."
João de Brito
.
"Do nepotismo e oportunismo ao desmoronamento"
Carlos Faria
.
"Um Criado Titular (VII)"
Jorge Moreira Leonardo
.
"O significado de oportunidade na atualidade"
José Couto
.
"A importância dos animais nos processos de violência doméstica"
Joana Gomes
.
"A fraqueza dos políticos"
Rui Gonçalves
.
"A oitava revisão constitucional e a autonomia (3)"
Carlos Frayão
.
"Um Criado Titular (VI)"
Jorge Moreira Leonardo
.