Carlos Frayão

Razões pelas quais, se fosse brasileiro, eu teria votado em Lula...

17 de Novembro de 2022


As eleições presidenciais brasileiras foram, até há quinze dias, notícia de primeira página dos jornais e tema obrigatório de artigos de opinião de comentadores de todos os quadrantes.

Não vou, por isso, acrescentar nada ao que foi dito e escrito sobre elas.

Quero apenas dar o meu contributo para esclarecer a dúvida manifestada por várias pessoas às quais, antes da segunda volta das eleições, ouvi dizer, referindo-se a Bolsonaro e a Lula da Silva: «entre os dois, venha o diabo e escolha»…

Bolsonaro é um político de cariz fascizante ou mesmo fascista, como o provam o seu lema Deus, Pátria e Família – que também foi o de Mussolini e de Salazar – e os discursos em que afirmou que «o erro da ditadura foi torturar e não matar»; «sou a favor, sim, de uma ditadura, de um regime de exceção»; e «[este país] só vai mudar se um dia nós partirmos para uma guerra civil aqui dentro e fazendo o trabalho que o regime militar não fez: matando uns 30 mil [e] se vai morrer alguns inocentes, tudo bem, [em] tudo quanto é guerra morre inocente».1

Bolsonaro promoveu políticas ultraliberais e de confronto social que fizeram do Brasil um país com um dos piores índices de crescimento do PIB, uma das piores taxas de investimento e de desemprego e uma das piores taxas de inflação acumulada 2, no qual, durante a sua governação, os brasileiros em situação de pobreza extrema cresceram 10 milhões.3

Muito haveria para dizer sobre Bolsonaro, sobre a oligarquia financeira que representa e sobre a corrupção que pratica – como é o caso do seu orçamento secreto – mas fico por aqui e recordo apenas que Bolsonaro, desprezando o valor da vida humana, a autoridade da ciência e a preservação do planeta, fez do Brasil, entre as 20 maiores economias do mundo, o país onde a Covid-19, proporcionalmente, matou mais gente e onde a desflorestação da Amazónia cresceu em quatro anos 56%.

Lula, por outro lado, não é o “perigoso” radical que Bolsonaro propagandeia: embora se afirme um «socialista refinado», é, a meu ver, um social-democrata de esquerda que tentou instituir um estado social no Brasil e com uma grande vocação para combater a fome e a pobreza, o que, sendo positivo, é especialmente louvável numa região tão flagelada pela desigualdade como a América Latina.

Com base numa política de redistribuição de rendimentos, Lula retirou 28 milhões de brasileiros da miséria e fez com que outros 36 milhões transitassem para a classe média, elevou o Brasil a uma situação de quase pleno emprego, abriu 14 novas universidades, 214 novas escolas técnicas e 126 novas extensões de nível superior e terminou a sua governação com um índice de aprovação popular superior a 80%.

Bem sei que o Partido dos Trabalhadores (PT), fundado por Lula, caíu em grande descrédito pelos escândalos de corrupção em que esteve envolvido, o mais conhecido dos quais foi o mensalão (a mensalidade que o PT pagava a deputados para votarem propostas legislativas do Governo e dos partidos da sua base de apoio), mas Lula afirmou sempre desconhecer esse esquema, afastou do Governo os implicados e não chegou sequer a ser arguido nos respectivos processos.

Lula foi acusado, julgado e condenado, tendo cumprido 580 dias de prisão, por uma construtora lhe ter oferecido, alegadamente, um apartamento, em troca de contratos públicos que beneficiariam uma empresa petrolífera, mas o Supremo Tribunal Federal do Brasil declarou a incompetência do tribunal que o condenou, anulou as sentenças e reconheceu que o juiz que o julgou – Sérgio Moro, que veio a ser apoiante e ministro de Bolsonaro – tinha sido parcial.

Finalmente, generalizou-se a convicção, expressada também pelo Comité de Direitos Humanos da ONU, de que os processos contra Lula visaram retirar-lhe direitos políticos e impedi-lo de se recandidatar, na sequência do golpe de estado que destituiu Dilma Rousseff.

Eis algumas das razões pelas quais, se fosse brasileiro, eu teria votado em Lula da Silva. 

1 Consultável em https://www.cartacapital.com.br/politica/bolsonaro-em-25-frases-polemicas/

2  Idem, ibidem.

3 Consultável em jornalistaslivres.org/10-milhoes-de-pessoas-entraram-na-miseria-durante-o-governo-bolsonaro/

 

O autor não segue as regras do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990

As eleições presidenciais brasileiras foram, até há quinze dias, notícia de primeira página dos jornais e tema obrigatório de artigos de opinião de comentadores de todos os quadrantes.

Não vou, por isso, acrescentar nada ao que foi dito e escrito sobre elas.

Quero apenas dar o meu contributo para esclarecer a d&uacut…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.


Contacte-nos através: 292 292 815.
50
Outros Artigos de Opinião
"Um Criado Titular (VIII)"
Jorge Moreira Leonardo
.
"O poder político, o poder económico e os lobbies"
Carlos Frayão
.
"Mais um Conselho de Administração... é o resultado das suas escolhas Sr. Secretário..."
João de Brito
.
"Do nepotismo e oportunismo ao desmoronamento"
Carlos Faria
.
"Um Criado Titular (VII)"
Jorge Moreira Leonardo
.
"O significado de oportunidade na atualidade"
José Couto
.
"A importância dos animais nos processos de violência doméstica"
Joana Gomes
.
"A fraqueza dos políticos"
Rui Gonçalves
.
"A oitava revisão constitucional e a autonomia (3)"
Carlos Frayão
.
"Um Criado Titular (VI)"
Jorge Moreira Leonardo
.