Rui Gonçalves

A dança das cadeiras

23 de Setembro de 2022


Para além da infeliz visita da Ministra da Justiça à Cadeia da Horta, que se lembrou agora de vir estudar as obras há muito reclamadas e necessárias naquele estabelecimento prisional, a vida pública desta semana foi marcada, no Faial, pelo anúncio da nova presidente do Conselho de Administração do Hospital. Mais uma vez, e bem ao estilo do presidente do Governo, para se conhecer o nome que iria substituir João Morais, levou ano e dia. O problema não é esse. Todavia estou convencido que, em assuntos de natureza política como é o caso, muita demora não ajuda nada e até contribui para causar alguma instabilidade, ou mesmo desconfiança, no normal funcionamento de um serviço fundamental para a população, como é o serviço de saúde. O problema é outro. Está na escolha do nome. Nas circunstâncias em que ocorreu, revela um modo de atuar que não abona a favor da competência que se espera de quem tem decisões importantes a tomar. Não compreendo o motivo que levou à nomeação de Teresa Ribeiro para a Unidade de Saúde, há um ano e tal, quando, nessa altura, já se sabia que João Morais terminaria o seu mandato agora. Não se pode dizer que o Governo foi apanhado de surpresa. Então, se era para levar Teresa Ribeiro para o Hospital, por que razão não foi outro o escolhido para a Unidade de Saúde? Para além de revelar mais particularidades, estas, sempre, no domínio partidário, a situação mostra que a opção foi de recurso. Confirma-o o facto da presidente agora anunciada não ter sido a primeira escolha. Sou também de opinião que os dois nomes, para o Hospital e para a Unidade de Saúde, deviam ter sido anunciados simultaneamente, assim mostrando determinação e evitando a especulação sobre quem, afinal, manda por aqui. Contraditório com este, outro caso deixou muitas dúvidas. O da Escola do Mar. Desde que temos governo de coligação aquela Escola já acolheu três administradores. Mas nesses momentos de mudança, ao arrepio do estilo de Bolieiro, não foi preciso esperar tanto tempo. Talvez porque quem tutela o Mar é o PPM, cujo presidente é muito ativo. Vamos ver agora se o outro partido da coligação vai ativar também depressa a escolha do novo presidente da Unidade de Saúde, onde o CDS, da primeira vez, determinou a composição do conselho de administração.

Para além da infeliz visita da Ministra da Justiça à Cadeia da Horta, que se lembrou agora de vir estudar as obras há muito reclamadas e necessárias naquele estabelecimento prisional, a vida pública desta semana foi marcada, no Faial, pelo anúncio da nova presidente do Conselho de Administração do Hospital. Mais uma vez, e bem ao es…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.


Contacte-nos através: 292 292 815.
46
Outros Artigos de Opinião
"Os Filhos (XVI)"
Jorge Moreira Leonardo
.
"Sobre o crescimento na Europa (e não só) de uma extrema direita fascizante"
Carlos Frayão
.
"Antes que tudo arda"
Carlos Faria
.
"Os Filhos (XV)"
Jorge Moreira Leonardo
.
"Espinhos e Laranjas; Rafa; Uma comparação grosseira; Pessimista"
Rui de Jesus
.
"A dança das cadeiras"
Rui Gonçalves
.
"A propósito do falecimento da Rainha Isabel II "
Carlos Frayão
.
"Os Filhos (XIV)"
Jorge Moreira Leonardo
.
"Uma aposta municipal no objetivo certo"
Carlos Faria
.
"Treinar a força laboral"
José Couto
.