08 de Julho de 2024
Trabalhadores de terra da SATA em greve ao trabalho suplementar a partir de dia 24
Lusa

Autor do Artigo
295

Os trabalhadores de terra da SATA vão estar em greve ao trabalho suplementar, a partir de 24 de julho, contra o “tratamento discriminatório” pela empresa de aviação dos Açores, anunciou o Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC).

Num comunicado publicado na página na internet do sindicato, o SINTAC considera "inaceitável" que a revisão salarial não seja "equitativamente" distribuída por todos os trabalhadores.

"Não pode o SINTAC aceitar que os trabalhadores de terra do Grupo SATA, independentemente da sua filiação sindical, tenham tratamento discriminatório em relação a outros do grupo", lê-se no comunicado de imprensa.

A estrutura sindical diz não subscrever, nem concordar com "a aplicação aos associados do SINTAC de um acordo feito com outro sindicato", porque "é injusto quando comparado com outros".

O SINTAC aponta também para "as condições precárias" em que muitos trabalhadores exercem a sua atividade, com "recurso sistemático ao trabalho suplementar", o que "esgota os recursos humanos física e psicologicamente" e provoca um "sentimento de injustiça".

O sindicato denuncia ainda "a falta de resposta da empresa sobre as necessidades de revisão de carreiras".

Tudo isto, acrescenta, resulta "numa instabilidade social no Grupo SATA" que "preocupa sobremaneira" o SINTAC.

"Os trabalhadores da SATA vivem entre o mercenarismo de alguns que não se comovem pela destruição que causam e causaram na empresa e o messianismo eterno de que alguém vai vir salvar a SATA", sustenta.

Para o sindicato, "a SATA não precisa de ser salva, precisa de ser bem gerida, por gente competente que respeite a missão social par a qual foi criada, servir os Açores e os açorianos".

A greve ao trabalho suplementar no grupo SATA, marcada pelo SINTAC, terá início às zero horas do dia 24 de julho e término a 31 de dezembro de 2024, é referido no comunicado do SINTAC.

O sindicato diz que os trabalhadores "estão mobilizados" para a paralisação, alegando ser "a única forma" de se fazerem ouvir perante "a incapacidade da empresa em perceber a gravidade dos seus atos".

Na sexta-feira, o novo presidente do conselho de administração da SATA, Rui Coutinho, considerou que houve “muita má gestão” na companhia aérea durante “muitos anos”.

Para Rui Coutinho, “foram cometidos demasiados erros por diversos responsáveis, cujos efeitos influenciam a prestação atual" e "continuarão a condicionar todas as decisões e toda a gestão diária e estratégica do grupo”.

O gestor foi ouvido na Comissão da Economia da Assembleia Legislativa Regional dos Açores, em Ponta Delgada, após a sua indigitação pelo Governo dos Açores para presidente do conselho de administração da SATA Holding, S.A..

Os trabalhadores de terra da SATA vão estar em greve ao trabalho suplementar, a partir de 24 de julho, contra o “tratamento discriminatório” pela empresa de aviação dos Açores, anunciou o Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC).

Num comunicado publicado na página na internet…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.
Pode tornar-se assinante por apenas 7€ por mês.

Contacte-nos através: 292 292 815 ou jornalincentivo@gmail.com.




Outras Notícias
Último bispo português de Macau homenageado na ilha do Pico
.
Governo dos Açores quer redimensionar hospital de Ponta Delgada
.
GNR apreende mais de 80 artigos falsificados na ilha de São Miguel
.
Alunos melhoram a Português mas 96% das públicas chumbam a Matemática
.