15 de Maio de 2024
OKEANOS monitoriza biodiversidade e alterações dos ecossistemas marinhos
Incentivo

jornalincentivo@gmail.com
297

O OKEANOS – Instituto de Investigação em Ciências do Mar, da Universidade dos Açores e a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL) vão participar no projeto internacional SEAGHOSTS, que visa a monitorização e conservação das populações das aves marinhas mais pequenas do planeta, os painhos.

O projeto foca-se em seis espécies que nidificam no Atlântico Norte, cuja ecologia e até a taxonomia são muito pouco conhecidas, uma vez que são muito difíceis de estudar (são exclusivamente noturnas em terra, não pesam mais que 50g e nidificam em pequenas cavidades em rochas ou solo).

Este projeto envolve dezasseis parceiros de onze países europeus, e ainda Cabo Verde, Estados Unidos e Canadá.

O principal objetivo do SEAGHOSTS é desenvolver um esforço coordenado para compreender o ciclo anual das diferentes espécies, as áreas oceânicas utilizadas durante a reprodução durante a migração, e quantificar as ameaças que afetam a sua conservação à escala europeia.

Verónica Neves, investigadora do Instituto OKEANOS afirma que “esta será uma ótima oportunidade para aprofundar o nosso conhecimento sobre a ecologia espacial global dos painhos (famílias Hydrobatidae e Oceanitidae), e contribuir para a preservação destas pequenas aves”, acrescentando que estes animais são fantásticas sentinelas do ecossistema marinho, “são altamente pelágicos, percorrem grandes distâncias no mar, têm uma vida muito longa e são extremamente sensíveis às ameaças antropogénicas em geral. São, pois, objetos de estudo ideais!”.

Serão incluídas seis espécies de painho, incluindo duas espécies endémicas, o Pedreirinho (Hydrobates jabejabe), endémico de Cabo Verde e o Painho-de-Monteiro (Hydrobates monteiroi), endémico dos Açores.

O conhecimento das rotas migratórias de várias espécies de painhos permitirá a identificação de ameaças e de zonas prioritárias para a conservação das espécies.

O OKEANOS – Instituto de Investigação em Ciências do Mar, da Universidade dos Açores e a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL) vão participar no projeto internacional SEAGHOSTS, que visa a monitorização e conservação das populações das aves marinhas mais pequenas do planeta, os painhos.





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.
Pode tornar-se assinante por apenas 7€ por mês.

Contacte-nos através: 292 292 815 ou jornalincentivo@gmail.com.




Outras Notícias
Governo quer rever modelo de subsídio social de mobilidade para as ilhas e evitar fraudes
.
Ecossistema espacial nos Açores tem de ser desígnio autonómico
.
Governo dos Açores defende recuperação da vocação atlântica do país
.
IPMA alerta para aumento de caravelas-portuguesas nos Açores e no continente
.