25 de Março de 2024
Tuna liga estudantes lusodescendentes no Canadá a Portugal
Lusa

Autor do Artigo
73

A única tuna universitária portuguesa na América do Norte “tem servido de ligação entre os jovens lusodescendentes no Canadá e os em Portugal”, disse à agência Lusa uma das fundadoras do grupo.

“Naquela altura vimos a tuna como uma forma de aproximar mais os jovens de um lado e do outro, de dar a conhecer mais a realidade do que era a cultura universitária portuguesa”, afirmou Ana Bailão, que foi, aquando da criação do grupo, presidente da Associação de Estudantes da Universidade de Toronto.

A tuna foi criada em 1998, depois de, no ano anterior, durante a Semana Cultural da Casa dos Açores do Ontário, vários estudantes universitários portugueses no Canadá “terem sido desafiados pela Tuna Académica da Universidade dos Açores (TAUA) a criarem um grupo”.

O objetivo foi criar um “elo de ligação com a juventude portuguesa”, para fazer uma “aproximação" entre os jovens do Canadá e os de Portugal, disse.

“A viagem que fizemos aos Açores, em 1997, quando a tuna ainda não estava formada, vai-nos ficar na memória. Mas também o batizado, que teve lugar no salão da igreja de Santa Helena, pois não sabíamos como a comunidade ia reagir”, recordou a ex-vice-presidente da Câmara Municipal de Toronto.  

Ana Bailão, uma dos 16 fundadores da tuna, recordou os festivais de tunas organizados, passando por Toronto vários grupos vindos de Portugal, do México e de Porto Rico.

Nestes 26 anos de existência, alguns dos elementos conheceram pessoas através desses mesmos festivais “casando-se com elementos da própria tuna ou de outros grupos de Portugal”, contou.

Integram atualmente a Luso-Can Tuna 19 elementos de diversas universidades e faculdades da região de Toronto, nomeadamente das Universidade de Toronto e de York, do Humber College, entre outros.

A magister (responsável pela tuna) Chiara Amaral Picão, licenciada em ciências políticas pela Universidade de Toronto, explicou que um dos objetivos do grupo “é dar continuidade” à cultura portuguesa no Canadá e também “celebrar a diáspora”.

“Para nós é necessário participar numa tradição portuguesa para nos ligar com a nossa cultura e também ajudar a nossa comunidade com a promoção da importância dos estudos, de ingressar no ensino superior”, sublinhou.

A Luso-Can Tuna celebrou no dia 14 de março o seu 26.º aniversário, estando a realizar vários eventos, que contam com a presença da Tuna Académica da Escola Superior de Comunicação Social de Lisboa (ESCSTUNIS) e da Tuna Académica da Universidade dos Açores (TAUA).

Está previsto para hoje à noite, no Centro da Direção Escolar Católica de Toronto, o festival Lusofonia e, no domingo, o almoço comemorativo do aniversário do grupo, a ter lugar no Centro Cultural Português de Mississauga. 

O último Festival de Tunas da Luso-Can Tuna, o FITca, foi realizado em 2012, uma iniciativa a que os responsáveis pretendem “dar continuidade, com mais tunas no futuro”.

Os elementos do grupo juntam-se todas as sextas-feiras à noite na igreja de Santa Helena, em Toronto, para ensaiar, estando a aceitar “estudantes de qualquer instituição do ensino pós-secundário”.

A única tuna universitária portuguesa na América do Norte “tem servido de ligação entre os jovens lusodescendentes no Canadá e os em Portugal”, disse à agência Lusa uma das fundadoras do grupo.

“Naquela altura vimos a tuna como uma forma de aproximar mais os jovens de u…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.
Pode tornar-se assinante por apenas 7€ por mês.

Contacte-nos através: 292 292 815 ou jornalincentivo@gmail.com.




Outras Notícias
Falta de vontade do Governo para avançar com a segunda fase da EBI da Horta
.
Superluxuoso navio de cruzeiro Seven Seas Grandeur no Faial
.
Sismo de 2,9 na escala de Richter nas ilhas Pico, Faial e Terceira
.
Ilídia Quadrado escolhida para presidente da Portos dos Açores
.