15 de Março de 2023
PPM/Açores promete cumprir o acordo e coligação eleitoral com PSD e CDS-PP
Lusa

Autor do Artigo
72

O líder do PPM/Açores afirmou ontem que vai cumprir o acordo que prevê uma coligação eleitoral com PSD/CDS-PP nas próximas regionais e acusou a IL de “número de circo” ao romper o acordo que suportava o Governo Regional.

“Há um acordo. O acordo que foi negociado com o PSD, o CDS e o PPM prevê que os partidos concorram às próximas eleições legislativas [regionais]. Foi essa a condição que me fez assinar o acordo”, afirmou Paulo Estêvão, questionado sobre se os partidos que integram o Governo dos Açores (PSD/CDS-PP/PPM) vão concorrer coligados às próximas eleições regionais.

“Espero que todos cumpram com o acordo. O PPM vai cumprir o acordo”, acrescentou.

Paulo Estêvão acusou os “históricos” do PSD de serem “maus treinadores de bancada”, lembrando que o PS continua a ser o maior partido na Assembleia Regional.

“O PSD só governa porque o PPM e CDS-PP o apoiaram. Porque já tinha 24 anos de oposição e continuaria na oposição. As personalidades que têm vindo a público dentro do PSD a fazer críticas são as mesmas que ao longo de 24 anos perderam todas as eleições”, criticou.

O monárquico elogiou a “lealdade tremenda” do presidente do Governo Regional e rejeitou qualquer “ingerência” na ação dos governantes.

“Não há nenhuma ingerência. Há evidentemente, por parte do CDS-PP e PPM, presença. Numa coligação há presença no governo. Mas há um responsável e um líder que é o presidente do Governo Regional”, destacou.

Para Paulo Estêvão, o rompimento do acordo por parte da IL e independente não apresenta “nenhuma alteração da situação que já se vivia” na região.

“O Chega já rompeu o acordo e o que é que aconteceu? Começou a negociar caso a caso. O deputado independente e o da IL dizem que vão negociar caso a caso. Isso é alguma alteração em relação à situação preexistente? Não. Já era assim”, afirmou.

Acusando a IL de “irresponsabilidade”, Estêvão lembrou que o executivo açoriano apresentou nesta legislatura 41 diplomas no parlamento regional, sendo que 40 foram aprovados.

“O deputado [da IL] não resiste a tentar um protagonismo político. Achou que a saída do secretário da Saúde fragilizava o governo e achou que aquele era o momento para aparecer com este número de circo. Isto é um número de circo”, reforçou.

O líder do PPM/Açores afirmou ontem que vai cumprir o acordo que prevê uma coligação eleitoral com PSD/CDS-PP nas próximas regionais e acusou a IL de “número de circo” ao romper o acordo que suportava o Governo Regional.

“Há um acordo. O acordo que foi negociado com o PSD, o CDS e o PPM prevê que os partidos …





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.
Pode tornar-se assinante por apenas 7€ por mês.

Contacte-nos através: 292 292 815 ou jornalincentivo@gmail.com.




Outras Notícias
Vasco Cordeiro diz que não será recandidato à liderança do PS/Açores
.
“Aventura na Alagoa: Escalada para Todos” vence Orçamento Jovem
.
Quinze viagens canceladas devido à greve entre 8 e 14 de abril
.
Governo dos Açores volta a propor aumento de 5% da remuneração complementar
.