08 de Março de 2023
Governo dos Açores não foi consultado sobre saída do presidente da SATA para a TAP
Lusa

Autor do Artigo
74
Luís Rodrigues mantém-se até final de março

O secretário das Finanças dos Açores adiantou ontem que o executivo regional não foi consultado sobre a saída de Luís Rodrigues da SATA para a TAP, criticando a falta de sentido de Estado do Governo da República.

“Não fomos consultados, mas sim informados sobre a ida de Luís Rodrigues para a TAP.

O Governo dos Açores foi informado, não foi consultado. Aquilo que dizemos é que não nos vamos vergar. Não nos vão fazer desistir de salvar a SATA”, afirmou Duarte Freitas aos jornalistas na Horta, durante a apresentação das deliberações do Conselho do Governo Regional que reuniu na segunda-feira.

O Governo da República escolheu Luís Rodrigues, que atualmente lidera a companhia aérea pública açoriana SATA, para assumir os cargos de presidente do Conselho de Administração e da Comissão Executiva da TAP.

Ontem, Duarte Freitas reconheceu que a saída do presidente da SATA é uma “contrariedade” e revelou que o executivo regional só recebeu um “contacto do Governo da República por volta da hora de almoço” de segunda-feira, a “informar que Luís Rodrigues ia ser presidente da TAP”.

“O sentido de Estado devia impor o cuidado com este processo de privatização da SATA - Azores Airlines. É uma questão nacional. E percebemos também que há muitas vontades nos Açores, que comunicam para o Governo da República, para que isto não corra bem”, criticou.

Durante a conferência de imprensa, o secretário regional apresentou o caderno de encargos para a privatização da Azores Airlines, empresa do grupo SATA responsável pelas ligações da região com o exterior.

Instado a concretizar quais as “vontades” que não querem que a privatização da companhia “corra bem”, o secretário das Finanças, Planeamento e Administração Pública apelou aos açorianos para tirarem as “suas ilações”.

“As pessoas que façam as suas ilações. Todos nós somos livres o fazer. O que é factual é que o Governo dos Açores foi informado ontem [segunda-feira] à hora de almoço do que iria acontecer”, reforçou.

A 7 de fevereiro foi também anunciada a saída de Mário Chaves da administração da SATA para suceder a Válter Fernandes no cargo de diretor-geral da Portugália, a partir de março.

Duarte Freitas acrescentou que Luís Rodrigues vai manter-se em funções até final de março, mas realçou que o conselho de administração da SATA mantém-se com quórum devido à presença dos dois administradores não executivos indicados pelo Governo Regional.

Com a saída dos dois elementos, o conselho de administração da SATA Holding fica constituído por Teresa Mafalda Gonçalves (diretora financeira do grupo), Bernardo Ponte e João Crispim Ponte (administradores não executivos).

O secretário regional realçou ainda que Luís Rodrigues não tem direito a indemnização pela saída e que a decisão sobre o futuro líder da companhia aérea vai ter “sempre como primeira prioridade manter o ritmo e as componentes do processo de privatização da Azores Airlines”. 

O secretário das Finanças dos Açores adiantou ontem que o executivo regional não foi consultado sobre a saída de Luís Rodrigues da SATA para a TAP, criticando a falta de sentido de Estado do Governo da República.

“Não fomos consultados, mas sim informados sobre a ida de Luís Rodrigues para a TAP.

O Governo dos Açores foi informado, não foi consultado. Aquilo que …





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.
Pode tornar-se assinante por apenas 7€ por mês.

Contacte-nos através: 292 292 815 ou jornalincentivo@gmail.com.




Outras Notícias
Política colonial portuguesa foi diferente das outras
.
Aviso laranja devido à chuva forte
.
Edifício e Museu do Parlamento Regional abertos ao público no dia 25 de Abril
.
Governo não confirma Ilídia Quadrado na Portos dos Açores
.