06 de Dezembro de 2022
Postos de trabalho preocupam Sindicato na Azores Airlines
Lusa

Autor do Artigo
38
Trabalhadores manifestam receio de despedimentos

O SITAVA -Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos manifestou ontem preocupação com a “destruição dos postos de trabalho” da Azores Airlines, companhia do grupo SATA que tem prevista para 2023 a privatização da maioria do capital.

Em comunicado, o sindicato adianta que já pediu, “com caráter de urgência, uma audiência ao Governo Regional dos Açores” para “obter explicações” para várias questões ligadas a este processo, notando que o grupo SATA “é, porventura, o mais importante ativo” da região.

“Diz-se agora, com cada vez maior insistência, que o Governo Regional se prepara, mesmo sem publicar o respetivo caderno de encargos, para vender a empresa sem que se saiba muito bem como. Os trabalhadores voltam, assim, a viver o pesadelo que viveram durante a anterior tentativa de privatização que, a ter-se concretizado, teria sido o fim da empresa, com todo o triste contencioso que lhe estava associado, nomeadamente a destruição dos postos de trabalho”, assinala o SITAVA.

O Governo Regional revelou em novembro que o concurso público para a privatização da Azores Airlines arranca em 01 de janeiro de 2023.

“Por maior esforço que façamos, não se consegue perceber a lógica ou racional económico de tal decisão”, alerta o sindicato.

O SITAVA refere que, “com a chegada de novo conselho de administração e com os sacrifícios impostos aos trabalhadores que ainda se mantêm, o grupo SATA começou a recuperar e a apresentar resultados que muitos não consideravam possíveis”.

Tal mostrou que, diz o sindicato, “quando os trabalhadores acreditam nas decisões da gestão e esta se mostra profissional, séria e empenhada, o ‘milagre’ pode acontecer”.

“Aqui chegados, quando parecia, finalmente, haver condições para aliviar os trabalhadores dos pesados sacrifícios que ainda suportam, volta novamente a falar-se de privatização sem que alguém perceba as razões de tal decisão”, lamenta o SITAVA.

O sindicato questiona “onde fica o interesse regional” e se, “em tal cenário, estão salvaguardados os postos de trabalho e os interesses dos trabalhadores”.

O SITAVA lembra ainda que o conselho de administração termina o mandato no fim de 2023.

A privatização da maioria do capital da Azores Airlines/SATA Internacional (empresa do grupo SATA responsável pelas ligações entre o arquipélago e o exterior) está contemplada na proposta de Orçamento dos Açores para 2023, aprovada no parlamento regional no fim de novembro.

O SITAVA -Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos manifestou ontem preocupação com a “destruição dos postos de trabalho” da Azores Airlines, companhia do grupo SATA que tem prevista para 2023 a privatização da maioria do capital.

Em comunicado, o sindicato adianta que já pediu, “com carát…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.


Contacte-nos através: 292 292 815.




Outras Notícias
Câmara da Horta inaugura reabilitação da Rua do Chão Frio e Calço do Porto
.
Madeira não confia nos dados do INE que indicam aumento do risco de pobreza
.
Prisão preventiva para suspeito de violação, sequestro e violência doméstica
.
Caminho do Porto de Pedro Miguel transformado em “avenida”
.