04 de Outubro de 2022
Paróquias açorianas em situação “difícil” depois da pandemia
Lusa

Autor do Artigo
41

A situação de muitas paróquias dos Açores é “difícil” por causa da diminuição acentuada das ofertas nas missas.

A pandemia afastou os fieis da Igreja e mesmo com o regresso das festas de verão , este ano, já com alguma normalidade, as dificuldades não estão ultrapassadas, afirmou ao Igreja Açores o ecónomo, padre António Henrique Pereira, numa entrevista ao programa de rádio Igreja Açores.

“A pandemia foi um grande golpe nas nossas paróquias: o encerramento das igrejas e as restrições afastaram as pessoas, que ainda não regressaram. Isso fez diminuir as receitas de uma forma acentuada e as paróquias tiveram de recorrer às reservas” disse o sacerdote.

“Muitas paróquias estão numa situação um bocadinho difícil e a retoma deste verão ainda não repôs a normalidade” refere ainda o sacerdote que salienta que “as igrejas ainda estão desertas e se as pessoas não participam também não contribuem para a vida económica da Igreja”.

E acrescenta: “isso reflete-se nas paróquias e também nas contas da própria diocese que vive sobretudo dos contributos das paróquias que são enviados a cada quadrimestre. Por conseguinte, ao baixarem as receitas das paróquias baixam também os contributos para a diocese”.

Ainda assim, o padre António Henrique Pereira salienta que é preciso encarar a situação “como um desafio” reconhecendo, no entanto que, “diante das dificuldades muitos sacerdotes podem viver o desânimo”.

“É preciso olhar para os sacerdotes e estar atentos, pois muitas vezes o facto de vivermos sós ainda nos isola mais e os colegas nem se apercebem disso”, diz sublinhando que o apoio e o acompanhamento são “indispensáveis” diante das dificuldades que “criam problemas”.

A diocese de Angra tem 165 paróquias; durante a pandemia houve paróquias que recorreram a ajudas do estado para suportar os honorários dos sacerdotes.

A situação de muitas paróquias dos Açores é “difícil” por causa da diminuição acentuada das ofertas nas missas.

A pandemia afastou os fieis da Igreja e mesmo com o regresso das festas de verão , este ano, já com alguma normalidade, as dificuldades não estão ultrapassadas, afirmou ao Igreja A&…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.


Contacte-nos através: 292 292 815.




Outras Notícias
Portugal perde 2,1 por cento da população em 10 anos e inverte tendência de crescimento
.
Aviso amarelo por causa de chuva forte e vento
.
Plano para 2023 aprovado com votos contra de PS e BE
.
Empresas de transformação e comercialização de produtos agrícolas nos Açores com acesso a 8,5 ME
.