22 de Setembro de 2022
Conselho de Estado discute situação socioeconómica
Lusa

Autor do Artigo
32

O Presidente da República anunciou que vai reunir o Conselho de Estado para analisar a situação política e socioeconómica do país, depois das audiências com os partidos em Belém sobre o Orçamento do Estado para 2023.

À margem de uma aula na Escola Secundária Pedro Nunes, em Lisboa, antigo liceu que frequentou, Marcelo Rebelo de Sousa anunciou que vai auscultar os conselheiros de Estado sobre o situação socioeconómico que o país está a viver e o que é possível esperar sobre o futuro.

Sem referir uma data em concreto, o chefe de Estado referiu que a reunião do Conselho de Estado vai ser depois das audiências no Palácio de Belém com PS, PSD, Chega, Iniciativa Liberal, PCP, BE, PAN e Livre sobre o Orçamento do Estado para 2023.

Durante as duas horas de aula que deu aos estudantes naquela escola, o Presidente da República anunciou que vai fazer uma auscultação sobre o que é que os partidos querem ver vertido na política orçamental do próximo ano depois da visita de cinco dias que vai fazer à costa ocidental dos Estados Unidos da América, para contactar com as comunidades portuguesas que vivem naquela parte do país.

A anterior reunião do Conselho de Estado foi no final de junho, na altura com a participação, como convidado, de John Kerry, enviado especial do Presidente dos Estado Unidos da América para o clima. O tema da última reunião foram as alterações climáticas e a transição energética à luz da realidade geopolítica espoletada pela guerra na Ucrânia.

Agora o conflito continua como pano de fundo, mas é o impacto que o aumento da inflação teve nos bolsos dos portugueses que vai estar no centro da discussão.

O Presidente da República anunciou que vai reunir o Conselho de Estado para analisar a situação política e socioeconómica do país, depois das audiências com os partidos em Belém sobre o Orçamento do Estado para 2023.

À margem de uma aula na Escola Secundária Pedro Nunes, em Lisboa, antigo liceu que frequentou, M…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.


Contacte-nos através: 292 292 815.




Outras Notícias
Investimento municipal na Semana do Mar ascendeu, este ano, a 375 mil euros
.
Investigadora diz que “verdadeiras” romarias dos Açores tiveram início em 1630
.
Caminhada Doca a Doca no domingo numa extensão de quatro quilómetros
.
Estados-membros podem restringir acesso de pesqueiros até 12 milhas
.