09 de Agosto de 2022
Abalo com magnitude 2,2 registado em São Jorge
Lusa

Autor do Artigo
35

A ilha de São Jorge registou ontem de manhã um sismo com magnitude 2,2 na escala de Richter, anunciou o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA).

De acordo com o CIVISA, o sismo ocorreu às 8h06 e teve epicentro a cerca de dois quilómetros de Santo Amaro.

Foi sentido com intensidade máxima III/IV na escala de Mercalli Modificada na freguesia de Velas (concelho de Velas).

A ilha de São Jorge tem atualmente ativo um nível de alerta vulcânico V3 (sistema ativo sem iminência de erupção), na sequência da crise sismovulcânica registada desde 19 de março.

O sismo de maior magnitude (3,8 na escala de Richter) desta crise ocorreu no dia 29 de março, às 21h56.

De acordo com a escala de Richter, os sismos são classificados segundo a sua magnitude como micro (menos de 2,0), muito pequenos (2,0-2,9), pequenos (3,0-3,9), ligeiros (4,0-4,9), moderados (5,0-5,9), fortes (6,0-6,9), grandes (7,0-7,9), importantes (8,0-8,9), excecionais (9,0-9,9) e extremos (quando superior a 10).

A escala de Mercalli Modificada mede os graus de intensidade e respetiva descrição e, quando há uma intensidade III, considerada fraca, o abalo é sentido dentro de casa e os objetos pendentes baloiçam, sentindo-se uma vibração semelhante à provocada pela passagem de veículos pesados.

A ilha de São Jorge registou ontem de manhã um sismo com magnitude 2,2 na escala de Richter, anunciou o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA).

De acordo com o CIVISA, o sismo ocorreu às 8h06 e teve epicentro a cerca de dois quilómetros de Santo Amaro.

Foi sentido com intensidade má…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.


Contacte-nos através: 292 292 815.




Outras Notícias
Filipe Menezes considera “desastrosa” gestão da Praia de Porto Pim
.
Paróquias açorianas em situação “difícil” depois da pandemia
.
Federação apoia Associação de Futebol da Horta na construção de uma academia
.
Medidas de proteção e regeneraçao do solo são insuficientes, diz especialista
.