22 de Julho de 2022
Terceira acusa ATA de promover São Miguel
Lusa

Autor do Artigo
40

O Conselho de Ilha da Terceira acusou a Associação de Turismo dos Açores (ATA) de promover maioritariamente a ilha de São Miguel e defendeu a ação da Câmara de Comércio de Angra do Heroísmo (CCAH).

“A ATA, com sede em Ponta Delgada, promove maioritariamente a ilha de São Miguel, deixando muitas vezes de parte o resto das ilhas, pelo que se torna fundamental uma promoção mais global do arquipélago”, afirma o Conselho de Ilha da Terceira, em comunicado.

O órgão, liderado por Marcos Couto, que é também presidente CCAH, pronunciou-se na sequência de críticas da ATA e das câmaras de comércio de Ponta Delegada e Horta, pela abertura de um aviso-convite do Plano Operacional Açores 2020, dirigido à associação empresarial de Angra do Heroísmo, para promoção turística.

Em causa está uma verba de 734 mil euros para promoção do destino Açores nos mercados de Nova Iorque e Montreal, que têm ligações aéreas diretas à ilha Terceira.

O Conselho de Ilha da Terceira defendeu a ação da CCAH na promoção turística dos Açores e sublinhou que a campanha de promoção em causa não se destinava apenas à Terceira.

“Havendo mais entidades habilitadas a efetuar ações promocionais, como é o caso da CCAH, não se vê qualquer sobreposição de interesse público regional. As ações, aliás, não se destinam exclusivamente à ilha Terceira, mas sim aos Açores”, avançou.

“Tendo como ‘gateway’ a ilha Terceira, visam contribuir para desenvolver o turismo na região como um todo, considerando as realidades específicas de cada ilha”, acrescentou.

Segundo o Conselho de Ilha, a associação empresarial de Angra do Heroísmo “tem vindo a desenvolver um papel dinâmico na promoção da ilha Terceira, juntamente com a Aerogare das Lajes, conseguindo novas rotas e combatendo lacunas existentes há algum tempo”.

Em 24 de junho, a Câmara de Comércio e Indústria de Ponta Delgada (CCIPD) exigiu, em comunicado de imprensa, que o Governo Regional clarificasse se pretendia manter a estratégia de “promoção do destino Açores como um todo” ou se pretendia “alterar radicalmente a estratégia, passando a promoção a ser fragmentada”.

A associação empresarial defendeu a retirada imediata do aviso, alertando para as “consequências para a distribuição adequada de recursos” de uma mudança de estratégia.

Em resposta, o gestor do Plano Operacional Açores 2020 rejeitou qualquer favorecimento à Câmara do Comércio de Angra, assegurando “rigor e imparcialidade” na análise da candidatura.

“Não se prevê que a promoção turística seja feita especificamente para a ilha Terceira”, salientou Nuno Melo Alves, em comunicado de imprensa, alegando que a promoção visava “o desenvolvimento e reforço da oferta turística na região”, assim como “ações de prospeção, conhecimento e acesso a novos mercados”.

O Conselho de Ilha da Terceira acusou a Associação de Turismo dos Açores (ATA) de promover maioritariamente a ilha de São Miguel e defendeu a ação da Câmara de Comércio de Angra do Heroísmo (CCAH).

“A ATA, com sede em Ponta Delgada, promove maioritariamente a ilha de São Miguel, deixando muitas vezes de parte o r…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.


Contacte-nos através: 292 292 815.




Outras Notícias
Sónia Santos substitui Hugo Pacheco na administração da ERSARA
.
Açores têm os combustíveis mais caros do país
.
Turistas de cruzeiro gastam em Lisboa média de 82 euros por pessoa
.
Grupo Central sob aviso amarelo até hoje
.