22 de Julho de 2022
Dívida das famílias, empresas e Estado sobe para 793.600 milhões de euros em maio
Lusa

Autor do Artigo
33

O endividamento do setor não financeiro (administrações públicas, empresas e particulares) aumentou 3.700 milhões de euros em maio face a abril, para 793.600 milhões de euros, informou hoje o Banco de Portugal (BdP).

Segundo o BdP, o endividamento do setor público (administrações públicas e empresas públicas) subiu 2.300 milhões de euros, para 357.300 milhões de euros, enquanto o endividamento do setor privado (empresas privadas e particulares) aumentou 1.400 milhões de euros, para 436.300 milhões.

No setor público, a subida “deveu-se ao incremento de 1.300 milhões de euros no endividamento perante o exterior e ao acréscimo de 900 milhões de euros no endividamento face às administrações públicas”.

Já no setor privado, o endividamento das empresas privadas cresceu 1.000 milhões de euros, “sobretudo junto do setor financeiro e do exterior”, enquanto o endividamento dos particulares subiu 400 milhões de euros, “exclusivamente junto do setor financeiro”.

Em termos homólogos, face a maio de 2021, o endividamento das empresas privadas cresceu 4,2%, à semelhança do que aconteceu em abril.

Quanto ao endividamento total dos particulares, aumentou 4,3% relativamente ao período homólogo, valor similar ao verificado em abril.

O BdP atualiza em 22 de agosto as estatísticas relativas ao endividamento do setor financeiro. 

O endividamento do setor não financeiro (administrações públicas, empresas e particulares) aumentou 3.700 milhões de euros em maio face a abril, para 793.600 milhões de euros, informou hoje o Banco de Portugal (BdP).

Segundo o BdP, o endividamento do setor público (administrações públicas e empresas públicas…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.


Contacte-nos através: 292 292 815.




Outras Notícias
Riscos associados às alterações climáticas agravaram doenças infeciosas nos humanos
.
Abalo com magnitude 2,2 registado em São Jorge
.
Chuva intensa provocou inundações e deslizamento de terras na Praia da Vitória
.
Governo aprova 2,2 ME para estudar ‘habitats’ marinhos de profundidade
.