14 de Junho de 2022
Entidades educativas ucranianas assumem avaliação de alunos em Portugal
Lusa

Autor do Artigo
29

As autoridades educativas ucranianas vão garantir a avaliação dos alunos acolhidos em Portugal, na sequência da guerra causada pela invasão russa, de acordo com as orientações emitidas pela Direção-Geral da Educação.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), Filinto Lima, afirmou que o documento, assinado pelo diretor-geral da Educação, José Pedroso, com data de 8 de junho, responde ao que as escolas pediram ao Ministério da Educação, no sentido de saberem como lidar com um caso que acontece pela primeira vez, com a integração de “refugiados em massa” e respetiva avaliação.

As orientações dirigidas às escolas resultam do trabalho de articulação entre o Ministério da Educação de Portugal e a Embaixada da Ucrânia em Lisboa.

“Julgo que chega em tempo oportuno, porque iniciámos ontem, quarta-feira, as reuniões de avaliação”, disse Filinto Lima, considerando importante a definição das regras pelas entidades envolvidas.

No documento, estabelece-se que os alunos acolhidos em Portugal este ano letivo, que tenham continuado inseridos no sistema de ensino ucraniano, através da modalidade ‘online’, terão a avaliação garantida pela escola ucraniana que frequentam.

“Os alunos que tenham sido integrados no sistema de ensino português terão a possibilidade de ter a sua avaliação final garantida pela escola internacional ucraniana”, lê-se no documento.

O conselho de turma “não deverá deliberar” sobre a avaliação destes alunos. Deverá registar o motivo em ata e publicar a informação em pauta, numa alínea.

“Obtida a certificação ucraniana, os alunos deverão ser reposicionados, em termos de matrícula, no ano de escolaridade seguinte”, segundo as indicações transmitidas às escolas.

Questionado sobre uma eventual passagem administrativa, Filinto Lima respondeu: “Sim, de certa forma, pode ser, mas temos de aceitar, uma vez que resulta de um acordo entre o Ministério da Educação e a Embaixada da Ucrânia”.

No documento, o diretor-geral da Educação solicita aos estabelecimentos de ensino que informem os estudantes e as famílias para que todos os alunos possam obter a certificação.

A Embaixada da Ucrânia em Portugal disponibiliza também informação, que consta no ‘site’ do Ministério da Educação e Ciência da Ucrânia.

As autoridades educativas ucranianas vão garantir a avaliação dos alunos acolhidos em Portugal, na sequência da guerra causada pela invasão russa, de acordo com as orientações emitidas pela Direção-Geral da Educação.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Associação Nacional de Diretor…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.


Contacte-nos através: 292 292 815.




Outras Notícias
Região integra novo programa europeu na área da mobilidade elétrica
.
Estudo revela que mineração do mar profundo vai afetar biodiversidade e pesca
.
Cimeira de exploradores GLEX vai ter sessão no vulcão dos Capelinhos
.
SATA reforça operação nos Açores este verão com aeronave alugada
.