10 de Maio de 2022
PCP quer regressar ao parlamento dos Açores
Lusa

Autor do Artigo
33
Marco Varela reconduzido na liderança regional

O novo coordenador do PCP/Açores, Marco Varela, eleito este fim-de-semana em Congresso Regional, realizado na Horta, revelou que o partido pretende “aumentar” a expressão eleitoral no arquipélago e voltar a ter representação no parlamento açoriano.

“A influência social e política do PCP nos Açores e a importância de voltarmos a ter representação parlamentar é reconhecida como fundamental para a democracia e para a autonomia regional”, realçou o dirigente comunista, no encerramento do XI Congresso Regional do partido, que juntou mais de 40 militantes de várias ilhas.

 Segundo Marco Varela, os congressistas aprovaram um conjunto de orientações, que apontam para a criação de diversos organismos setoriais, considerados fundamentais para a dinâmica que o partido quer implementar na região, tendo em vista o aumento da sua influência social e política, mas também o aumento da sua expressão eleitoral.

“O PCP/Açores está bem vivo e presente em todas as ilhas da região”, insistiu o líder dos comunistas açorianos, lembrando, no entanto, que o contexto político que se vive no país e na região, “exigem” dos militantes comunistas “um esforço redobrado” para a afirmação e divulgação das suas propostas.

O dirigente açoriano apresentou, no encerramento do Congresso do PCP/Açores, um conjunto de “onze medidas urgentes”, que entende ser necessário implementar na região, para dar resposta às necessidades dos açorianos.

O aumento de 5% para 7,5% do acréscimo regional ao salário mínimo e o aumento de 15% na remuneração complementar, no complemento ao abono de família e no complemento de pensão, surgem à cabeça na lista de medidas urgentes que os comunistas apresentam, a par da existência de creches gratuitas “para todas as crianças” nas ilhas.

Além de políticas de combate à precariedade laboral e à desertificação das ilhas mais pequenas, o PCP revela também preocupação com a mobilidade dos açorianos, ao defender a manutenção das atuais cinco ‘gateways’, nas ligações aéreas entre o continente e os Açores, e a aquisição de dois navios para transportes de passageiros e viaturas, entre todas as ilhas da região, durante todo o ano.

O PCP/Açores perdeu a única representação parlamentar que tinha na Assembleia Legislativa dos Açores, nas eleições regionais de outubro de 2020, altura em que o PS, que governava na região há 24 anos consecutivos, perdeu a maioria absoluta e foi afastado do poder por uma coligação de governo entre PSD, CDS e PPM, com o apoio parlamentar do Chega e do IL.

O novo coordenador do PCP/Açores, Marco Varela, eleito este fim-de-semana em Congresso Regional, realizado na Horta, revelou que o partido pretende “aumentar” a expressão eleitoral no arquipélago e voltar a ter representação no parlamento açoriano.

“A influência social e política do PCP nos Açores e a import…





Para continuar a ler o artigo torne-se assinante ou inicie sessão.


Contacte-nos através: 292 292 815.




Outras Notícias
Região arrancou ontem com 2.ª dose de reforço da vacina
.
Governo Regional vai adquirir três mil computadores e mil ‘tablets’
.
Apreensão de cerca de 11 quilos de pescado no Faial
.
Linha para denunciar crianças em perigo recebeu 2.550 chamadas em dois anos
.